Moluscos Contagiosos

Já ouviu falar em molusco contagioso? Conheça a infecção viral que atinge a pele.

Molusco contagioso é causado por um vírus da família Poxvírus e afeta especialmente crianças; o diagnóstico é feito através de análises clínicas.

Já ouviu falar em molusco contagioso? 


O nome pode parecer estranho, mas a doença existe e pode se agravar caso não seja realizado o tratamento adequado logo no início. Com aparência similar às verrugas ou a herpes, o problema é pouco popular. Para quem nunca leu nada a respeito, o molusco contagioso é uma infecção viral que causa pequenas pápulas umbilicadas (irritação e erupção cutânea), cristalinas, brilhantes e translúcidas na pele. Aos primeiros sinais, deve procurar um dermatologista para que possa ser feito o diagnóstico correcto, pois ao coçar a região afetada, o vírus começa a propagar-se pela derme e como consequência, pode espalhar-se por todo o corpo 

Propagação

O vírus é transmitido por meio de contato individual e por isso, é fundamental evitar compartilhar objetos de uso pessoal, como toalhas, chinelos e roupas. Além disso, piscinas também podem transmitir a doença. Em piscinas aquecidas, o problema pode ser ainda mais frequente porque o calor e a humidade favorecem o seu desenvolvimento.

O aspecto do molusco contagioso

Na pele aparecem bolhas pequenas que são ou de cor rosa (ou algo parecido) ou de cor branca ou esbranquiçada. Cada bolha (molusco) parece-se com uma verruga, sendo arredondada, firme e com cerca de 1-5 milímetros de diâmetro.

Se você apertar o molusco, um líquido esbranquiçado irá sair dele. Na maior parte dos casos, aparecem menos de 20 moluscos em cada pessoa. Por vezes, muitos moluscos aparecem em várias partes da pele, aparecendo em grupos ou aglomerados. Qualquer parte do corpo pode ser afectado, mas é muito raro aparecerem moluscos contagiosos nas palmas das mãos e nas solas dos pés.

Causas do molusco contagioso

O molusco contagioso é causado por um vírus que é passado através do contacto entre a pele, de pessoa para pessoa. Também se pode ficar infectado tocando em coisas que foram previamente contaminadas pelo vírus, como por exemplo toalhas, panos ou outros objectos que foram tocados por alguém que tenha molusco contagioso.

Assim que uma parte da pele seja infectada pelo molusco contagioso, uma vermelhidão pode propagar-se para outras partes da sua pele. No entanto, a maior parte das pessoas é imune ao vírus de molusco contagioso. Logo, a maior parte das pessoas que entrarem em contacto com pessoas infectadas não irão ter molusco contagioso.

O risco de se ter molusco contagioso aumenta por falta de higiene e em climas muito quentes. As infecções de molusco contagioso também são mais comuns em pessoas com o seu sistema imunitário fraco ou com funcionamento deficitário.

O molusco contagioso pode afectar qualquer pessoa de qualquer faixa etária. No entanto, 8 em cada 10 casos de molusco contagioso ocorrem em pessoas menores de 15 anos de idade. A maior parte dos casos acontece em crianças entre 1 e 4 anos de idade  

O molusco contagioso é sério ou perigoso?

Apesar de não ser doloroso nem grave, o molusco contagioso poderá deixar como que um pequenos buracos na zona afectada, ou deixar a pele mais clara nessa zona. 

Por vezes, a pele próxima do molusco contagioso fica infectada com bactéria, podendo ser tratada com antibióticos. Em casos raros, o molusco contagioso numa pálpebra (do olho) poderá causar uma inflamação do olho (consulte um médico se vir que alguns sintomas dos olhos apareceram devido ao molusco).

Se você tiver muitos moluscos contagiosos (nas suas centenas), ou o molusco for maior do que o normal, isso poderá ser um sinal de deficiência imunitária. Por exemplo, como consequência da quimioterapia ou infecção do vírus da SIDA. Se assim for, procure de imediato ajuda especialista 

Após um episódio de molusco contagioso ter desaparecido, deverá ficar imune ao vírus e quaisquer novas situações de molusco contagioso serão mais raras.

Prevenir a infecção de molusco contagioso

A hipótese de passar o vírus de molusco contagioso a outras pessoas é pequena e não é, de todo, séria ou perigosa. Como tal, não existe a necessidade de manter as crianças que sofrem de molusco contagioso fora da escola, ou afastadas das piscinas públicas, ginásios ou de outras crianças.

Para reduzir a hipótese de passar o vírus de molusco contagioso para outras pessoas, é recomendado não partilhar toalhas, panos, água de banho ou outros objectos que tenham sido tocados por pessoas com molusco contagioso. Evite também o contacto directo (entre peles) com outras pessoas (por exemplo, cobrindo a área afectada com roupa). Incentive as crianças a não coçarem o molusco, porque isto aumenta o risco de propagação a outras áreas da pele. O molusco contagioso é contagioso até que o molusco tenha desaparecido. 


Tratamentos para molusco contagioso

Existem alguns tratamentos no entanto poderá nem necessitar de qualquer tratamento, uma vez que o molusco contagioso desaparece entre 12 a 18 meses.

    • Nitrogénio líquido - este tratamento pode ser recomendado por um médico, se achar que lhe dará mais hipóteses de recuperação. Com nitrogénio líquido, as bolhas de molusco são congeladas em alguns tratamentos, para que não voltem a aparecer. Este tratamento é normalmente doloroso.

    • Spray e cremes - Alguns spray e cremes podem ser obtidos sem receita médica nas farmácias ou nas grandes superfícies de comércio.

    • Produtos naturais - certos produtos naturais de tratamento do molusco contagioso também podem ser usados para ajudar a eliminar o molusco e o vírus com o passar do tempo. Normalmente, estes produtos naturais são usados directamente na pele, para serem melhor absorvidos e tratarem a infecção mais rapidamente. 

    • Curetagem

Esse tratamento remove os  molusco através de uma raspagem na pele, realizada por um instrumento de metal fino. O seu médico pode fazer o uso de anestésicos locais para diminuir a dor da curetagem.


Para marcar sua Consulta pode lugar pelos nossos telefones: 917 753 834 / 930 703 362.