Lobuloplastia. Cirurgia da Orelha Rasgada.



O lóbulo da orelha é uma estrutura localizada na porção inferior do pavilhão auricular, composto exclusivamente por pele e tecido conjuntivo. Não há grandes estruturas anatômicas nobres em seu interior, e por isso culturalmente ele é alvo de ornamentações nas comunidades em todo mundo através do uso de brincos ou piercings.

O uso de adornos muito grandes e pesados, no entanto, pode causar o alargamento dos furos dos lóbulos até mesmo a rotura completa da extremidade da orelha. Outra situação não muito rara é a laceração acidental: homens ou mulheres que utilizam brincos do tipo “argolas” que, ao se locomoverem de forma distraída, tem suas argolas presas em mobiliários e puxadores de gavetas, ou mesmo que são vítimas da ação involuntária de “bebês de colo” curiosos com o objeto reluzente e que puxam o brinco com suas mãos. Por fim, uma terceira causa comum de deformidades dos lóbulos das orelhas é o uso de alargadores, situação na qual o indivíduo propositalmente expande as dimensões da perfuração pela inserção de objetos cada vez mais grossos no furo original 

Independente da causa da alteração, a cirurgia de correção chama-se Lobuloplastia, ou cirurgia plástica do lóbulo da orelha. Trata-se de um procedimento seguro, realizado com anestesia local, em que basicamente devolve-se a harmonia do lóbulo através de pequenas incisões e suturas (pontos), reduzindo ou mantendo seu volume final de acordo com a necessidade particular de cada paciente. Quando opta-se por ambiente hospitalar, a sedação também pode ser associada ao procedimento a fim de garantir maior conforto ao paciente.

O procedimento naturalmente torna necessário a realização de uma nova perfuração caso o paciente deseje voltar a usar brincos, o que já pode ser realizado após cerca de 30 dias.